Diabetes – como controlar a glicemia

Olá, tudo bem?

Vamos falar um pouco sobre a diabete? Apesar de ser uma doença conhecida, assim como a hipertensão, muitas pessoas não sabem o que fazer quando são diagnosticadas com a diabete.

Falo isso pois tenho familiares que são diabéticos, e muitas vezes ao serem diagnosticados a dúvida foi: “O que eu devo fazer? O que posso e o que não posso consumir?”.

Pensando nisso e baseada em algumas experiências familiares, venho ajudar tirar algumas dúvidas a respeito dessa doença.

Antes de tudo, vamos entender o que é diabete?

A Diabete Mellitus como pode ser conhecida, ocorre quando há uma anomalia na produção de insulina, hormônio que é produzido pelo pâncreas e é fundamental para a produção de energia. Ou seja, a insulina permite a entrada da glicose nas células para o funcionamento do organismo.

Um paciente com diabetes, não possui insulina suficiente para permitir a entrada do açúcar nas células –  gerando um aumento de glicose na corrente sanguínea. Trata-se de uma doença silenciosa, que se não tratada pode ocasionar problemas maiores de saúde.

Existem vários tipos de diabetes:

Pré-diabetes: ainda não é a diabetes, é apenas uma elevação no índice de glicose no sangue. Entretanto, já é um alerta para maiores cuidados.

Tipo 1: comum em crianças, adolescentes e jovens, a diabete tipo 1 é quando o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina. Os sintomas mais comuns são fome, cansaço, sede excessiva.

Tipo 2: o pâncreas pode até produzir insulina, no entanto o corpo não absorve. Os sintomas são: formigamento nas mãos e pés, cansaço, vontade de urinar, sede, má cicatrização. Mais comum nos adultos e em pessoas com histórico familiar de diabetes, porém crianças e jovens também podem ser diagnosticados.

Diabetes gestacional: pode acontecer durante a gravidez, onde o índice glicêmico da mãe é elevado. Apesar de temporário, pode trazer riscos durante a gestão e na hora do parto.

Como tratar?

Para o controle da diabetes, além do acompanhamento médico regular e o uso correto da medicação, praticar exercícios físicos e ter alguns cuidados com a alimentação é fundamental. Confira os alimentos que são permitidos e os que devem ser evitados.

Pães, cereais, raízes. Por serem fontes de energia, devem ser consumidos diariamente. Sendo assim, consuma os alimentos integrais, e prefira preparações cozidas.
Evite: pão doce, biscoito recheado e as misturas de arroz, farinha de mandioca, macarrão e batata na mesma refeição. 
Doces Quando sentir vontade é permitido consumir um pequeno pedaço, principalmente as opções diet.
Evite: comer os doces com grandes quantidades de açúcar. 
Frutas Consumir três porções de fruta diariamente (1 unidade ou 1 fatia pequena em diferentes horários).
Evite: geleias, frutas passas, cristalizadas ou em calda. 
Verdura e legumes Folhas, legumes com cascas e talos.
Evite: refogados com óleo. 
Feijões São ricos em fibras, podendo ser consumidos diariamente.
Evite: o preparo com bacon, linguiça. 
Carne e ovos Carnes magras (vaca, frango, peixe) cozidas ou assadas. Consumir 2 ovos por semana, no máximo.
Evite: carnes gordas, com couro ou pele. 
Leites e derivados Iogurte e leite desnatado.
Evite: creme de leite, leite condensado e queijos gordurosos. 
Bebida Beber muita água durante o dia.
Evite: refrigerante, sucos artificiais e bebidas durante a refeição. 
GordurasUtilizar pequenas quantidades de azeites ou óleo de milho, girassol ou canola para cozinhar.
Evite: enlatados, manteiga, margarina, maioneses e banha.
AdoçantesAdoçantes artificiais.
Evitar: açúcares.
Obs.Não ficar muito tempo sem se alimentar.
Tabela feita com base nas orientações médicas.

Lembre-se: cada paciente possui uma patologia. Sendo assim, consulte um médico especialista para um tratamento adequado.

Se você conhece alguém que é diabético, não deixe de compartilhar essas informações.

Fique com Deus.