Por que dá um ponto final na vida?

Oii mocinhas e mocinhos, tudo bem com vocês?

Como é bom falar de vida, não é mesmo? Acredito que todo dia é dia de relembrar a importância de viver e ser feliz; mas aproveito o ensejo do setembro amarelo (mês da campanha de prevenção ao suicídio) para mostrar que independente das situações adversas a vida tem um valor inestimável.

Existe um autor que costuma escrever de forma diferenciada. Ele cria e dá vida aos seus personagens, porém concede a cada um o livre arbítrio de mudar o rumo da história. Compartilho com vocês uma dessas histórias.

Havia mais de 1 bilhão de espermatozóides todos em busca de uma oportunidade para ser fecundado; todos corriam desesperadamente a caminho do útero. Nesse percurso muitos se perderam, mas teve um que conseguiu romper todos os obstáculos e finalmente chegou no objetivo (útero).

Nove meses se passaram e esse embrião se tornou um lindo bebê. Como toda criança, totalmente dependente de seus pais na alimentação, nos primeiros passos e na alfabetização.

Quando jovem enfrentou desafios nos relacionamentos, na escolha da profissão e apesar de algumas adversidades ele sempre obteve sucesso.

Mas de repente, quando tudo parecia bem, ele sofreu algumas perdas. Foi aí que o vilão apareceu. O sentimento de medo, de desprezo, de solidão, de angústia e de opressão invadiu seu coração, levando-o a perder o sentido da vida.

Então, o personagem olha para o autor e fala:

– Não quero mais continuar essa história! Para mim não faz sentido! Apesar de ás vezes estar cercado por pessoas me sinto sozinho, ninguém me compreende, tudo está dando errado, não tenho alegria e me sinto um personagem morto; quero por um ponto final nessa história!

O autor triste com o que havia acabado de ouvir, fala:

– Eu entendo a dor que estás sentindo, mas olha só tudo que você já enfrentou! Entre bilhões de concorrentes você foi o escolhido para compor essa história. Já venceu tantos desafios, não pode desistir agora! Confia na história que escrevi para você. Não pare agora, mande embora a tristeza, continue fazendo parte dessa história e vou te conceder a paz que você precisa e reconstruir tudo que você perdeu. Assim como o inverno não dura o ano todo, não há mal que perdure para sempre.

Que triste seria se essa história terminasse assim, não acham?

Bom… Essa história tem um final feliz.

O autor preocupado com a decisão que aquele personagem estava para tomar, o aconselha a procurar ajuda.

O personagem ouviu o conselho e disse:

-Está bem! Já que me aconselhou a não colocar um ponto final nessa história, que tal me ajudar?
Foi o que aconteceu.

Esse autor colocou psicólogos, amigos, pessoas que ele nem conhecia para o ajudar; e graças a essas ajudas sua vida voltou a fazer sentido.

A história dele? Tem sido muito linda. E ele disse:

-Quero que meu livro tenha muitas páginas; não tenho pressa para terminá-lo, por mais que tenha sido difícil redigir, decidi que quem vai dizer a hora de concluí-lo vai ser o autor.

Se leu essa história e se identificou, te digo que por mais difícil que seja a situação você não está sozinho. Existe um autor (Deus) que já escreveu sua história e tenha certeza que o final dela é maravilhoso, um final de vitória. Então, por que dá um ponto final na vida? A morte é o ponto mais humilhante e decadente que o ser humano pode chegar. Não tenha vergonha de procurar ajuda, liberta-se desses sentimentos que te aprisiona, escolha continuar, escolha a vida!

Não esqueça de compartilhar com seus amigos, você pode ajudar a salvar uma vida!

Salmos 139. 16,17,18
“Antes mesmo do meu corpo tomar forma humana Tu já havias planejado todos os dias da minha vida; cada um deles estava registrado no teu livro! Senhor, como são importantes para mim os teus pensamentos sobre a vida! São tantos que não consigo contar; são como os grãos de areia nas praias. A cada novo dia, quando acordo, sinto que fico mais perto de Ti.”

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.